Daniel Gatti

Daniel Gatti

Daniel Gatti (Uruguay) - dgatti@real-uita.org

Um filme de terror

As últimas eleições uruguaias marcaram, entre outras coisas, o surgimento de um «partido militar» que em poucos meses conseguiu captar mais de 11% do eleitorado e que inclui, em suas fileiras, violadores de direitos humanos e nostálgicos da última ditadura.

Uma empresa que perde peso

Bernardo Paiva, presidente executivo da Ambev, a maior cervejeira da América Latina, renunciou ao cargo “para poder empreender projetos pessoais”, como informou a empresa nesta semana em um comunicado. Mas a realidade parece ser outra, completamente diferente.

Encurralando os agrotóxicos

“O que está em questão é a saúde das crianças e dos adultos”, considerou um juiz federal argentino ao definir “um limite restritivo e de exclusão” para as pulverizações de agrotóxicos na região de Pergamino, na província de Buenos Aires.

Bolsonaro ao natural

Jair Bolsonaro não para de brincar de ser o Donald Trump da América do Sul: a última das suas tiradas foi defender o ditador chileno Augusto Pinochet e atacar a ex-presidenta do Chile, Michelle Bachelet, cujo pai foi torturado e assassinado pela ditadura que derrubou Salvador Allende.

“Defender as abelhas é defender a humanidade”

Durante décadas, Jair Krischke se “especializou” em salvar vidas de perseguidos políticos nos países do Cone Sul latino-americano, quando estiveram dominados por ditaduras. Hoje, com seus mais de oitenta anos, continua denunciando repressões e violações aos direitos humanos seja onde for. Entretanto, hoje trava também um novo combate, intimamente ligado aos anteriores: o da defesa do meio ambiente.

Uruguai pulverizado

O centro de Montevidéu viu-se lotado de apicultores que, com seus equipamentos de trabalho e colmeias, fizeram uma manifestação em luta pela punição de empresas e agricultores por usarem agrotóxicos de maneira indiscriminada, e exigindo serem indenizados, vítimas da enorme mortandade de suas abelhas.