FETAR repudia agrotóxicos para controlar gafanhotos

A Federação dos Trabalhadores Assalariados Rurais no Rio Grande do Sul (FETAR) encaminhou ontem (14) ofício à secretária Estadual de Saúde, Arita Bergmann, no qual se manifesta contrária às Portarias nºs 201 e 208, as quais são desnecessárias para o controle dos gafanhotos com uso de agrotóxicos no Rio Grande do Sul. Para tanto, a FETAR recomenda:

Venenos exonerados

Desde 2004, o Estado brasileiro isenta os agrotóxicos de impostos, uma medida que gera aos cofres públicos um prejuízo de bilhões de reais. Para Jair Krischke, presidente do Movimento de Justiça e Direitos Humanos e assessor da Rel UITA, os únicos beneficiários dessa medida são os próprios fabricantes.

As coisas podem mudar

O governo anterior da província de Buenos Aires, governada pela macrista María Eugenia Vidal, havia autorizado no final de 2018 pulverizar com agrotóxicos nas proximidades de centros populacionais e escolas rurais. Após fortes reações populares e científicas, ela voltou atrás e suspendeu sua implementação por um ano, uma resolução que o atual Executivo Provincial prorrogou.

“Um ano singular”

Durante 30 anos, a imunologista Mônica Lopes Ferreira se destacou no Instituto Butantan, uma instituição pública centenária vinculada à Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo, que atua como centro de pesquisa biológica.