A reação da UITA e de suas aliadas

Em 8 de março, o deputado Aldo Dávila enviou a seguinte mensagem: “Acabam de aprovar o decreto 18-2022 (Lei de Proteção à Vida e à Família), que condena de forma ainda mais severa as mulheres que fizerem aborto, além de ser também um brutal atentado ao grupo da diversidade sexual”.

“América Latina será tu voz”

Gisele Adao, dirigente del Sindicato de Trabajadores de la Alimentación de Criciúma y Región (SINTIACR) y vicepresidenta del Comité Mundial de Trabajadores LGBTI de la UITA, dirige un mensaje de solidaridad a la dirigente sindical Odilia Caal Có, agredida el pasado mes de setiembre dentro de la empresa Winners Textil y con el aval de la misma.

Nós, todas e todos, somos Odília Caal Có

Odília Caal Có, secretária geral do Sindicato dos Trabalhadores de Winner (Sitrawinner), foi retida de forma violenta em um dos escritórios da empresa, sofrendo golpes físicos e fortes ameaças, até conseguirem obrigá-la a assinar sua renúncia ao sindicato. Winners Têxtil, propriedade de capitais coreanos, maquila para várias empresas muito conhecidas internacionalmente. Nesse microcosmos, a perseguição sindical se caracteriza por suas práticas de assédio pesado e violência selvagem.