Argentina | SINDICATOS | NESTLÉ

Com Fernando Páez

Abusos e terceirização voraz

Em entrevista à Rel, o secretário-geral do Sindicato dos Trabalhadores da Indústria da Alimentação de Villa Nueva (STIA), na província de Córdoba, denunciou uma série de irregularidades cometidas pela transnacional Nestlé naquela região.
Foto: Nelson Godoy | Rel UITA

“Há alguns anos a empresa vem impondo uma política brutal de terceirização, desde os serviços de portaria até os de enfermaria”, informou Páez.

Desta forma, várias áreas da fábrica, que antes pertenciam ao convênio coletivo do setor, perderam esse direito devido à constante precarização de sua relação de trabalho.

“Portaria, serviços de manutenção e alvenaria, estacionamento, refeitório, área de despacho e mais recentemente a enfermaria. No total, temos seis empresas oferecendo serviços terceirizados neste momento na Nestlé Villa Nueva”, frisou o dirigente.

Além da política de terceirização, Páez aponta para um crescente assédio da nova gerência contra os trabalhadores e as trabalhadoras.

“O novo gerente indicado pela Nestlé para Villa Nueva, o senhor Roberto Basso, mantém uma atitude confrontadora e persecutória em relação aos trabalhadores, gerando grande desconforto entre os funcionários”, afirmou.

Como Páez explicou, o gerente é um senhor de meia idade que veio para se aposentar na fábrica de Villa Nueva. Portanto, se preocupa muito pouco com as condições de trabalho, pouco ligando em manter uma boa relação com os trabalhadores e com o sindicato.

«Há uma clara intencionalidade que vem de cima para que a gerencia exerça uma política severa e muito dura contra os trabalhadores, traduzindo-se em agressões verbais e em assédios dos mais variados tipos”.

Diante dessa realidade, o Sindicato entrou com uma ação no Ministério do Trabalho da Província englobando todos os problemas e irregularidades na fábrica da Nestlé.

“Na última terça-feira, dia 26, tivemos uma audiência no Ministério para apresentar as denúncias. Por enquanto, estamos em uma instância intermediária, mas teremos novamente audiência no dia 9 de novembro, para dar continuidade à ação”.

A UITA e a Felatran

O dirigente também participou da reunião do Conselho Executivo da Federação Latino-Americana de Trabalhadores da Nestlé (Felatran), na quarta-feira 27, denunciando a situação em Villa Nueva. Essa problemática será exposta em Vevey, sede da transnacional na Suíça, na próxima reunião anual entre a UITA e a Nestlé, em 5 de novembro.

“Agradecemos divulgarem ao máximo esta situação e confiamos que a direção global da Nestlé tomará as medidas necessárias para conter os abusos e corrigir as irregularidades em sua fábrica de Villa Nueva”, concluiu.