Brasil | SINDICATOS | REFORMAS

Primeira greve após a reforma trabalhista saiu vitoriosa!

Desde 11 de novembro de 2017, a reforma trabalhista entrou em vigor no Brasil. E como todos sabem, o governo federal retirou muitos direitos dos trabalhadores, sendo este um marco de retrocesso que vai passar para a história como o pior atraso que o Brasil já teve nas relações do trabalho.

Mas em Cianorte, o Sindicato dos Trabalhadores da Alimentação (SINTRACIA), filiado a CONTAC-CUT, organizou junto a base da empresa de sua base de atuação. Temos a notícia que esta é a primeira greve realizada após a nova lei trabalhista entrar em vigor.

Logo de 3 dias de paralisação de mais de 90% dos trabalhadores, a empresa não suportou a pressão e partiu de sua posição inflexível para a negociação.

Como resultado, os trabalhadores e trabalhadoras conseguiram não apenas um aumento acima da inflação do seu salário como vale alimentação, mas também, o abono da maior parte dos dias parados.

O presidente do SINTRACIA, Cirso da Silva, destaca que não foi fácil organizar a greve, mas o resultado os leva esperança e reanima a lutar ainda mais pelos direitos da classe trabalhadora.

«Assim que a greve se mostrou viável, nós fizemos um planejamento estratégico, e estávamos prontos para suportar a greve ao menos por 15 dias.

Felizmente, a empresa entendeu que o melhor caminho é a negociação, e encerramos a greve no terceiro dia. Fundamental destacar a solidariedade que tivemos dos sindicatos da alimentação de todo o Paraná, através da nossa Federação».

Conforme o presidente da Federação, Ernane Ferreira, a Federação dos Trabalhadores em Indústrias da Alimentação do Paraná (FTIA) já tem mapeado ao menos 6 empresas onde os trabalhadores e trabalhadoras estão muito insatisfeitos, e podem parar e fazer greve a qualquer momento, pois as negociações coletivas com as empresas do setor da alimentação andam em um ritmo muito lento.