SINDICATOS

Intervenção de Rosecleia de Castro A realidade na indústria frigorífica brasileira

«Há empregos que adoecem e matam»

A vice-presidenta do Comitê Executivo Latino-Americano da UITA apresentou ao 27º Congresso Mundial da Internacional o flagelo preocupante das lesões por esforço repetitivo na indústria frigorífica de seu país e o alto número de acidentes fatais.

“90 por cento dos trabalhadores e trabalhadoras do setor carne no Brasil trabalham com dor ou muita dor, de acordo com estudos do Ministério Público do Trabalho«, disse ela.

“Além disso, o ritmo frenético nesta indústria e os baixos salários fazem dela uma das principais em acidentes fatais», informou Rose.

“Enquanto nós estamos aqui, um trabalhador da JBS morreu ao cair em uma máquina de processamento de carne quando fazia a limpeza do equipamento e, como ele, há centenas», lamentou De Castro

 

Deja una respuesta