Nem perdão, nem esquecimento

Na semana passada, a Rel UITA acompanhou o Comitê de Familiares de Detidos e Desaparecidos em Honduras (Cofadeh) em seu processo perante a Comissão Interamericana de Direitos Humanos contra o Estado hondurenho pelo caso de Herminio Deras.

Expectativas varias ante problemas múltiples

Una nutrida delegación del Stibys (Martha Anariba, presidenta del Sitraina, no participó del encuentro por problemas de salud surgidos a último momento) y quien suscribe se reunieron con la flamante ministra de Trabajo, Sarahí Serna, una de las 10 mujeres, de un total de 40 personas que conforman el nuevo gabinete de gobierno de la presidenta Xiomara Castro.

“A Rel UITA chega ao país em um momento histórico”

Carlos H Reyes, histórico dirigente sindical e ex-presidente de nossa organização afiliada, o Sindicato de Trabalhadores da Indústria das Bebidas e Similares (Stibys), conversou com a Rel sobre o papel desempenhado pela UITA e sua Regional Latino-americana durante os doze anos de resistência e luta do povo hondurenho após o golpe cívico-militar de 2009.

Doze longos anos de solidariedade

Em 28 de junho de 2009, os poderes de fato de Honduras, com o apoio decisivo dos militares e a falsa indignação dos Estados Unidos, deram um golpe de estado que destruiu a institucionalidade, dando espaço para doze anos de saques, terror e violação sistemática contra os direitos humanos.

Áreas territoriais sem lei

Uma imagem de um novo mapa de Honduras circula nas redes sociais revelando o desaparecimento de vários departamentos, especialmente as Ilhas da Bahia, Colón, Gracias a Dios, Atlântida, Cortés e Valle.

“Muito para aprender”

O sétimo episódio da série Mulheres Trabalhadoras em Movimento apresenta Marta Anariba, presidenta do
Sindicato dos Trabalhadores do Instituto Nacional Agrário (SITRAINA), de Honduras.

“Os ninguéns da Fyffes”

Na miséria. No abandono total. Assim vivem os trabalhadores e as trabalhadoras da transnacional Fyffes/Sumitomo em Honduras. Os que, mesmo trabalhando dezenas de anos, não podem ter acesso a uma vida digna.