Quem foi que pediu?

Estas reformas como as que vêm sendo impostas na Espanha e no Brasil, bem como as propostas no Peru e na Argentina – para citar alguns casos – são um fenômeno mundial, sendo que todas elas têm um denominador comum: reduzir o custo do trabalho, precarizar as condições de trabalho e privilegiar o capital sobre tudo e todos.

Migrar para sobreviver

As mulheres são hoje, quase metade da população migrante do mundo de acordo com o Banco Mundial, e a tendência é isso aumentar, o que explica grande parte das mudanças nos fluxos migratórios. Vale destacar que a migração feminina já atingiu a mesma importância que a migração masculina.

Um debate necessário e urgente

Nós que temos o hábito de escrutinar e questionar as novas tecnologias, somos muitas vezes rotulados de “inimigos do progresso” pelos seus defensores, sem sequer considerarem os estudos existentes e as consequências socioambientais decorrentes de seu uso.

Enquanto a Monsanto acumula derrotas, a Bayer rói as unhas

A essa altura dos acontecimentos, a Bayer já deve ter se arrependido de ter comprado a Monsanto: nos Estados Unidos, um júri condenou a empresa de origem norte-americana a pagar mais de 2 bilhões de dólares para um casal de agricultores contaminados com glifosato, e na Europa a Bayer admitiu ter a Monsanto criado um arquivo sobre centenas de políticos, cientistas e jornalistas.

Hoje é Dia Mundial do Combate às LER/Dort

Hoje, dia 28 de fevereiro, celebra-se o Dia Mundial do Combate às LER/Dort (Lesões por Esforços Repetitivos / Doenças Osteomusculares Relacionadas ao Trabalho) e nós temos que manifestar a nossa preocupação com a saúde dos trabalhadores.