Até quando?

Célio Elias dirigente do SINTIACR explica no seguinte podcast como o ritmo intenso de produção nos frigoríficos somada à falta de EPIs adequados levam a um aumento dos acidentes de trabalho.

JBS e seu ritmo de produção massacrante

Gisele Adão, dirigente do Sindicato de Trabalhadores da Alimentação de Criciúma e Região (SINTIACR) e vice-presidenta do Comitê Mundial LGBTI da UITA, analisa as consequências para os trabalhadores e trabalhadoras do ritmo frenético de trabalho nos frigoríficos da JBS, a maior produtora de proteína animal do mundo.

Superexplorados e invisíveis

Na Europa, a indústria da carne movimenta bilhões de dólares e gera cada vez mais lucro para as empresas, porém boa parte dos milhões de trabalhadores empregados são migrantes trabalhando em condições de precariedade quase total.

“É hora de reagir!”

Célio Elias, dirigente do Sindicato de Trabalhadores nas Indústrias da Alimentação de Criciúma e Região convoca aos trabalhadores e as trabalhadoras da Seara/JBS a defenderem um ganho real nos salários e não apenas um reajuste pelo IPC.