A maconha antissindical

A Federação dos Trabalhadores Assalariados e Assalariadas do Rio Grande do Sul (FETAR-RS), a Federação dos Trabalhadores e Assalariados e Assalariadas do Paraná (FETAR-RP), a Federação dos Trabalhadores e Trabalhadoras da Agricultura do Estado de Santa Catarina (FETAR-SC) e a Rel-UITA manifestaram seu rechaço diante da demissão da companheira Adriana Viera, porta-voz dos trabalhadores junto à FAISES-SIMBIOSYS, uma das empresas dedicadas à produção de maconha no Uruguai.

Encontrarás um emprego, mas nenhum direito

Seus defensores proclamam que gerariam milhares de novos postos de trabalho, porém após pouco mais de um ano de sua aprovação, a reforma trabalhista no Brasil além de não trazer os tais empregos prometidos, também desequilibrou bastante as relações de trabalho a favor das empresas, gerando uma crescente insegurança jurídica para o trabalhador.

Tempos difíceis, tempos de desafios

Durante a recente reunião do Comitê Latino-Americano da Mulher (CLAMU) com a Rel-UITA*, a coordenadora internacional da Aliança Global contra o Tráfico de Mulheres (GAATW), por sua sigla em inglês) enfatizou a necessidade de serem abordadas novas estratégias para um mundo onde o neoliberalismo é visto como sinônimo de bom senso.

Montevideo a sus pies

Por iniciativa del diputado Luis Puig del Frente Amplio, el pasado viernes 19 de octubre, en el edificio anexo del Palacio Legislativo y coincidiendo con el cumpleaños número 80 de Jair Krischke se realizó un homenaje al activista brasileño, presidente del Movimiento Justicia y Derechos Humanos de Porto Alegre, amigo, compañero y asesor de la Rel-UITA.

Tudo tem seu princípio e seus princípios

A Monsanto pode viver noites escuras. Só nos Estados Unidos deverá enfrentar mais de 8.500 processos em razão das graves consequências para a saúde humana, vítima do uso de dois de seus produtos “estrela”, o Roundup e o RangerPro. A empresa, entretanto, continua insistindo que seus agrotóxicos são inócuos.